fbpx
Níveis de biossegurança: o que é e para que servem?

Níveis de biossegurança: o que é e para que servem?

Você sabia que existem diferentes níveis de biossegurança? Sabe o porquê isso é necessário? Neste artigo vamos te explicar um pouco mais quais são os níveis de biossegurança e a importância deles.

O que é biossegurança?

            Biossegurança envolve uma série de normas e medidas criadas para minimizar os riscos, evitar os acidentes de trabalho e elevar a qualidade do atendimento e dos produtos. Elas são necessárias em ambientes de trabalhos que lidam diretamente com agentes biológicos e outros, como: salões, studios, hospitais, laboratórios, clínicas, restaurantes, centros estéticos e em outros ambientes, como em nossa casa, onde é possível a ocorrer  contaminação.

            Como a contaminação pode acontecer de diversas maneiras, além dos demais riscos existentes nos diversos ambientes, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) regula os estabelecimentos por níveis de biossegurança, levando em conta qual o risco que aquele lugar pode oferecer. Agora que você já sabe o que é biossegurança, vamos conhecer um pouco mais sobre esses níveis de biossegurança?

Para que servem os níveis de biossegurança?

            No Brasil, a Anvisa é o órgão responsável por regular os protocolos e medidas de biossegurança que os estabelecimentos devem seguir. Para indicar os protocolos corretos para cada situação, a agência classifica empresas ou estabelecimentos de acordo com os riscos que podem provocar e assim, são separados por níveis de biossegurança.

            Os níveis de biossegurança são necessários porque nem todo lugar possuem os mesmos tipos de risco. Por exemplo, um hospital possui um risco muito maior que um restaurante. Mas um laboratório que pesquisa doenças contagiosas, por exemplo, possui um risco mais elevado do que o de um hospital.

            Para determinar em qual dos níveis de biossegurança um determinado lugar deve se enquadrar, a Anvisa faz uma análise rigorosa e detalhada que leva em conta a atividade a ser realizada e todas as condições experimentais. Segundo a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), os níveis são estabelecidos em ordem crescente, pelo grau de proteção proporcionado ao pessoal do laboratório, meio ambiente e à comunidade.

Agência reguladora

            Atualmente, os protocolos de níveis de biossegurança regulados pela Anvisa abrangem apenas laboratórios, clínicas, hospitais e afins. Com a pandemia da Covid-19, outros tipos de estabelecimentos começaram a se atentar a essa questão e a tendência é que novos protocolos sejam criados. A Biocide é especialista em biossegurança e já fornece protocolos de biossegurança para vários tipos de estabelecimentos. Se você ficou interessado em adquirir um para a sua empresa, entre em contato com a gente!

Nível de biossegurança – nº 1 (NB-1)

            O primeiro nível de biossegurança é o mais básico de todos, já que envolve trabalhos com agentes com menor grau de risco (Classe de risco I), isto é, agentes que não provocam doenças em seres humanos e não trazem risco para as pessoas que trabalham no laboratório e ao meio ambiente.

            Nesse nível, o laboratório não precisa estar separado de outras dependências, não exige material de contenção especial e deve ter uma pia separada das demais. O trabalho geralmente é realizado em bancadas abertas, aplicando as boas práticas laboratoriais (BPL) e com o uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

            Os profissionais que irão trabalhar nesse ambiente devem receber treinamento sobre os procedimentos a serem realizados e também devem ser supervisionados por um profissional que tem treinamento em biossegurança.

Nível de biossegurança – nº 2 (NB-2)

O segundo nível de biossegurança é indicado para laboratórios que trabalham com agentes de risco moderado (Classe de risco II) para as pessoas e também para o meio ambiente.

            Além dos cuidados padrões estabelecidos para os níveis de biossegurança nº1, no nível 2 os laboratórios devem ter autoclave para a descontaminação de objetos e produtos específicos para o ambiente, Cabine de Segurança Biológica (Classe I ou II) e outros equipamentos de contenção física.

            Os profissionais dos laboratórios níveis de biossegurança 2 devem ter treinamento específico para os agentes patogênicos e devem ser supervisionados por profissionais treinados. Nesse nível, é muito importante ter bastante cuidado com objetos perfurocortantes dentro do laboratório.

Nível de biossegurança – nº 3 (NB-3)

            No terceiro nível de biossegurança se enquadram laboratórios que trabalham com agentes biológicos de elevado risco infeccioso (Classe III), ou seja, microrganismos que trazem um grande risco individual, mas baixo risco para a comunidade.

            Esse protocolo é recomendado para laboratórios diagnósticos, clínicos, de ensino e pesquisa que trabalhem com agentes causadores de doenças sérias ou letais. No laboratório, o acesso é controlado e todo o material deve ser manejado dentro da cabine de segurança biológica classe II ou III, com filtro HEPA.

Os procedimentos de segurança e as boas práticas laboratoriais devem ser mais rigorosas. Neste caso, faz parte dos Equipamentos de Proteção Individual roupas de proteção específicas para a área. Além disso, o treinamento e supervisão são muito importantes e deve-se avisar o profissional dos riscos que ele corre naquele ambiente.

Nível de biossegurança – nº 4 (NB-4)

            No quarto nível de biossegurança estão os laboratórios de segurança máxima. Eles possuem alto risco de infecção individual e de transmissão por agentes (Classe de risco IV) que podem ser fatais, possuem alto potencial de transmissão por aerossóis.

            A forma como se deve trabalhar, nesse caso, é bem mais rigorosa. O manuseio de materiais deve acontecer somente dentro de Cabines de Segurança Biológica Classe III, com o uso de roupas de proteção com pressão positiva ventiladas por um sistema de suporte à vida.

            Toda a estrutura da edificação deve ter características exclusivas dos níveis de biossegurança 4, pensando em evitar a disseminação dos agentes no meio ambiente. O laboratório deve ser construído em uma edificação separada ou em área controlada e o acesso precisa ser rigorosamente controlado por sistemas automatizados. Os profissionais devem receber treinamento específico e completo para a manipulação de agentes infecciosos e são constantemente monitorados por supervisores altamente competentes.

            É recomendado que esse tipo de laboratório funcione somente sob o controle direto de autoridades sanitárias devido ao alto grau de risco.

Para saber mais sobre os protocolos de biossegurança, entre em contato com a Biocide.

Referências:

https://www.anvisa.gov.br/servicosaude/controle/rede_rm/cursos/boas_praticas/modulo1/biosseguranca.htm#:~:text=Existem%20quatro%20n%C3%ADveis%20de%20biosseguran%C3%A7a,e%20secund%C3%A1rias%20de%20um%20laborat%C3%B3rio.

http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/lab_virtual/niveis_de_bioseguranca.html

Deixe uma resposta

Fechar Menu